Religiosidade Não Traz Felicidade

por Octavio da Cunha Botelho

denmark-happy-nation_fran

Dinamarca, o país com a população mais feliz do mundo, segundo pesquisa recente

            Divulgado ontem (16/03/16) mais um resultado de pesquisa sobre os países com as populações mais felizes do mundo. Desta vez foi o relatório da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN na sigla em inglês) e do Instituto da Terra, Universidade Columbia. Esta modalidade de pesquisa leva em conta, sobretudo, o índice de desigualdade social e a relação da sociedade com o meio ambiente, independente da riqueza do país. A Dinamarca desbancou a Suíça, primeiro lugar na última pesquisa, como o país mais feliz para se viver e trabalhar. O Brasil ficou em 17º lugar, os EUA, apesar de ser o pais mais rico do mundo, ficou em 13º lugar. Curioso que alguns países ricos não ficaram tão bem posicionados, exemplos: Reino Unido em 23º lugar e França em 32º lugar. Os países com as populações mais infelizes são: Burundi, Síria, Togo, Benim, Libéria, Tanzânia, Madagascar e Afeganistão.

            Segundo esta recente pesquisa, os dez países com as populações mais felizes do mundo são: Dinamarca, Suíça, Islândia, Noruega, Finlândia, Canadá, Holanda, Nova Zelândia, Austrália e Suécia. Quanto à religião, é curioso notar que quase todos estes países acima estão na lista daqueles onde o secularismo mais cresce. Nenhum país com alta porcentagem de religiosos aparece entre os Top 10, tais como República Islâmica do Irã, Arábia Saudita, Índia, Honduras, Bangladesh, etc. O país com a maior população cristã do mundo, os EUA, aprece em 13º lugar, o segundo em maior população cristã, o Brasil, em 17º e, curioso, o país com a mais alta porcentagem de população católica, a Itália, em 50º lugar. Enfim, estes resultados nos levam a concluir que a religiosidade pode não ser sinônimo de felicidade, ou seja, uma pessoa laica pode ser mais feliz que uma pessoa religiosa, portanto, o que importa mesmo é a qualidade de vida que esta pessoa leva. Sendo assim, o cético poderá perguntar: então religião não traz felicidade nos dias de hoje?

gatas-dinamarca

O ranking dos países mais felizes coincide, quase que na totalidade, com o ranking dos países com os mais altos índices de desenvolvimento humano e de ateísmo.

            Entretanto, é preciso observar que o critério e o método empregados nesta modalidade de pesquisa sobre felicidade são contestados por outros pesquisadores, uma vez que o conformismo, bem como o grau de exigência do indivíduo, é muito variável de um indivíduo de um país para um indivíduo de outro país. Por exemplo, países de população com mais escolaridade podem formar indivíduos mais exigentes que os países com população de baixa escolaridade que se conforma com menos, daí que país com baixa escolaridade pode apresentar mais pessoas felizes do que outro país de alta escolaridade, por exemplo, o Brasil, que ficou melhor ranqueado que o Reino Unido e a França. Entretanto, mesmo assim, este ranking das populações mais felizes concorda, quase que na íntegra, com o ranking dos países com alto desenvolvimento humano (IDH), medido pela ONU, o que pode aproximar o desenvolvimento humano da felicidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s