A Imprudência da Superstição

por Octavio da Cunha Botelho

15267145

Corpos dos peregrinos mortos na tragédia em Mina, durante a edição da Grande Peregrinação Islâmica (Hajj) deste ano: 717 mortos e 863 feridos.

            Durantes estes dias, até o dia 26 de setembro, está acontecendo mais uma edição da Grande Peregrinação (Hajj) Islâmica, um evento anual no calendário islâmico. Desta vez, tal como em ocasiões anteriores, mais uma tragédia tirou as vidas de 717 peregrinos e deixou 867 feridos, por conta de um tumulto ocorrido em Mina, local ao redor de Meca. Esta foi a maior tragédia desde 1990, quando 1426 peregrinos morreram pisoteados em um tumulto ocorrido no interior de um túnel que liga Mina à cidade de Meca. Esta não foi única a tragédia desta vez, há menos de duas semanas a queda de um guindaste, no interior da Grande Mesquita, deixou 111 mortos e 394 feridos. De modo que o festival da Grande Peregrinação (Hajj) tem um histórico de tragédias. Em 1990 foram 1426 mortes, em 1994 foram 270 mortes, em 1998 foram 118 vítimas, em 2001 mais 35 perderam as vidas, em 2004 outros 250 morreram, em 2006 mais 360 vítimas e este ano, mais 717 perderam suas vidas.

            Mais precisamente, o tumulto desta vez aconteceu durante o rito de apedrejamento ao demônio, o qual é executado na cidade de Mina, uma etapa do trajeto da peregrinação, onde os peregrinos atiram pedras de cascalho contra três muros (antes de 2004 eram três pilares, os quais foram substituídos por muros altos, uma vez que os cascalhos lançados estavam atingindo os peregrinos do lado oposto) que representam o demônio, como um desafio ao seu poder. Os tumultos de 1994 e de 1998 aconteceram neste mesmo local, ou seja, durante o ritual de apedrejamento, confirmando que este rito é um risco para a segurança dos peregrinos.

size_810_16_9_peregrinos-meca

Corpos dos peregrinos vítimas do tumulto durante o ritual do apedrejamento ao demônio em Mina, perto de Meca.

            Diante destas recorrências, fica a curiosidade em saber o que leva tantos religiosos a arriscarem tanto a integridade em razão de uma superstição tão irracional, tal como esta de atirar cascalho contra um muro que representa o demônio, a fim de desafiá-lo. Será que estes exemplos não nos levam a pensar que o demônio é a própria irracionalidade da imprudência?

Para conhecer sobre a Grande Peregrinação Islâmica (Hajj) e sobre as suas consequências decorrentes da aglomeração, visitar: https://observadorcriticodasreligioes.wordpress.com/2014/01/05/a-peregrinacao-islamica-e-os-problemas-a-saude-consequentes-da-aglomeracao/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s