25 de Dezembro, uma Data Escolhida para o Nascimento de Jesus


Octavio da Cunha Botelho

nascimento-de-jesus-5

O nascimento de Jesus, discórdia sobre a data desde os primeiros cristãos.

Algumas crenças e práticas estão tão entranhadas nas vidas de muitas pessoas que elas não se preocupam em investigar a sua veracidade, pois elas pensam que, se todos acreditam e a praticam, então deve ser verdade. Um dos maiores exemplos deste descuido é o Natal. Muito poucos são os que sabem que esta não é a data histórica do nascimento de Jesus, mas sim uma data escolhida alguns séculos depois pela Igreja. Pois, a rigor, ninguém sabia com certeza quando ele nasceu, já que não foi registrada. Então, nos primeiros séculos do Cristianismo, cada comunidade cristã celebrava o nascimento de Jesus em datas diferentes, ou se algum grupo comemorava na data certa, os outros não aceitavam, por isso celebravam em datas distintas, bem como de uma maneira muito diferente das festividades atuais. De modo que, quando converso com cristãos sobre este assunto, alguns até se assustam.

Ademais, os primeiros padres do Cristianismo faziam forte oposição às comemorações ao dia de nascimento de seus mártires. Para eles, o que devia ser celebrada é a dada de seus martírios. As primeiras menções à data do nascimento de Jesus aparecem no século III e.c. Clemente de Alexandria menciona a data de 20 de Maio, outros autores antigos mencionam as datas de 19 ou 20 de Abril, 28 de Março e 06 ou 10 de Janeiro. Portanto, não houve preocupação inicial em registrar e conservar a data de nascimento de Jesus, caso alguém, de fato, sabia da verdadeira data. A mais antiga menção a 25 de Dezembro, como a data de nascimento de Jesus, aparece em 221 e.c. na obra Chronographiai (História do Mundo), de Sextus Julius Africanus (160-240 e.c.), uma obra perdida, mas que foi extensamente reproduzida na obra Chronicon de Eusébio de Cesareia. E a primeira referência a uma celebração do nascimento de Jesus em 25 de dezembro é de 336 e.c. Nos evangelhos canônicos e nos apócrifos não aparece nenhuma menção. Alguns cristãos tentam visualizar algumas pistas nos evangelhos, para então extrair interpretações fantasiosas.

Quanto à escolha da data para o nascimento de Jesus, os historiadores se divergem com respeito à origem. As sugestões mais citadas são a de que o 25 de Dezembro foi a cristianização do Dies Solis Invistus Nati (o Dia do Nascimento do Sol Invencível), um popular festival romano e pagão que celebrava o solstício de inverno como o símbolo do resurgimento do sol.  Ou a de que esta data transformou-se no nascimento e Jesus pelo raciocínio que identificava o equinócio de inverno (25 de Março no hemisfério norte), como a data da concepção de Jesus, mas sem nenhum fundamento histórico. Então, nove meses depois, isto é, 25 de Dezembro, tornou-se a data de nascimento de Jesus. Quando levada ao norte da Europa, estas celebrações se fundiram com o Yule, um festival pagão dos povos nórdicos, também celebrado no solstício de inverno, com isso assumindo gradativamente as características da atual festividade, inclusive a inclusão do Papai Noel. O processo de como aconteceu a gradativa uniformização das comemorações em 25 de Dezembro e em 06 ou 07 de Janeiro é difícil de acompanhar, em virtude a escassez de documentos.

A Igreja Armênia de Jerusalém comemora o Natal na festa da Epifania, dia em que se celebra a revelação de deus como ser humano em Jesus, isto é, no dia 06 de Janeiro do calendário juliano, o qual corresponde ao dia 19 de Janeiro no calendário gregoriano (nosso calendário). As Igrejas Ortodoxas que não seguem o calendário juliano reformado continuam celebrando o Natal em 06 ou 07 de Janeiro, enquanto as que seguem o calendário Juliano reformado (reforma feita no início do século XX) comemoram no dia 25 de Dezembro do calendário gregoriano. Veja a relação abaixo:

Comemoração em 25 de dezembro:

– Igreja Católica

– Igrejas Ortodoxas da: Bulgária, Grécia, Romênia, Antioquia, Alexandria, Albânia e Finlândia (calendário juliano reformado).

Em 06 de Janeiro

– Igreja Apostólica Armênia

– Igreja Católica da Armênia

Em 07 de Janeiro:

– Igrejas Ortodoxas da: Rússia, Geórgia, Ucrânia, Macedônia, Montenegro e Sérvia (calendário juliano não reformado)

– Patriarcado Grego de Jerusalém

– Igreja Copta de Alexandria

– Igreja Ortodoxa Etíope

Em 19 de Janeiro:

– Patriarcado Armênio de Jerusalém

Em dia nenhum:

– algumas Igrejas Protestantes, mediante a alegação de que o Natal é um festa originalmente pagã.

Enfim, apesar das dúvidas dos historiadores quanto a estas hipóteses, podemos concluir, a partir destas sugestões, que o Natal tem muito mais de Paganismo do que de Cristianismo. De modo que, a insistente afirmação do Natal em 25 de Dezembro, como a dia do nascimento do menino Jesus, é mero discurso de pregação cristã, sem nenhum fundamento histórico. .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s